Skip to content

Resenha: Hikaru Utada – First Love

maio 23, 2010

Qual o motivo de eu ter escolhido esse álbum? Bem tem vários, (como o meu amor pela Utada) mas o fato de ser o álbum mais vendido de toda história japonesa é um bom atrativo não acham? E será que tal álbum merece esse título? É o que veremos aqui nesta resenha especial.

Automatic -Album Edit-

O que dizer sobre um R&B que carrega todo o clima dos 90’s, sendo mais instrumental do que eletrônico, com uma belíssima linha de baixo e com uma voz de uma menina que acabou de debutar, mas só que tem muita personalidade na voz e com uma letra inteligentíssima? O Resultado de tudo isso é que faz Automatic a ‘cara’ da Hikki

Movin’ on without you

Apesar do feel aqui ter ficado mais agitado, Movin’ on without you tem aquela coisa sentimental na letra, com algo que nos identificamos, ao mesmo tempo sendo uma música muito urbana. A parceria do teclado / guitarra feita nessa canção é pra ouvir e viajar…Nothing’s gonna stop me, only can stop me ♫♪

In My Room

Aqui você não entra somente no quarto de Hikki como os mínimos detalhes do ser que dorme ali. In My Room tem aquele feel onírico e nostálgico, com uma batida bem leve e que faz ficar bem na ‘brisa’. Mas é uma sensação boa e fará você levitar praticamente!

First Love

First Love é a clássica balada, tem piano, violão, violino e uma bela voz. Musicalmente falando não tem nada a mais, mas a voz da Utada que faz o grande diferencial aqui e creio que esse foi o grande fator de First Love ter feito sucesso.

Amai Wana ~Paint It, Black

Aqui tudo é experimental, pra mim esse é o estilo que Utada pegou como ‘seu’.  Uma cadência bem pensada, paradas estratégicas, mistura de épocas (uma pitada de 80’s aqui outra pitada de 70’s ali) e uma sensação ótima é o que passa Amai Wana. E prestem atenção no final, muito criativo!

time will tell

Que sensação única que traz time will tell, sendo que o título da música já diz praticamente o que você escutará. O instrumental segue a mesma linha do restante do álbum, ou seja nada de novo, mas é muito indescritível essa sensação que somente o time will tell

Never Let Go

Praticamente uma versão mais lenta e sofrida de Automatic. Mas Never Let Go tem seus méritos merecidos pelo baixo lindíssimo. O resto parece um pouco outside com uns gritos da Hikki ao fundo que não combinou muito com o clima…

B&C -Album Version-

R&B com uma cara de kawaii (bem de leve mas tem sim!). B&C tem aquele clima de música-que-eu-ouvia-quando-criança, sabe? O refrão tem uma ótima melodia, pega fácil. Batida leve e ao mesmo tempo séria, fofa e divertida e um ótimo solo ao final da música.

Another Chance

Que piano elétrico lindo! É a primeira coisa que pensei ao ouvir Another Chance. Séria com boas influências de blues, uma ótima vibe, uma melodia encantadora então como não gostar de Another Chance? Equilíbrio perfeito, o que faz dela a minha preferida do álbum.

Interlude

Você nem vê essa interlude passar de tão rápido! (ops acho que pulei de música)

Give Me A Reason

Típica música dos anos 90! Violões e depois a guitarra acompanhando e uma letra criativa. Mas mesmo tendo uma fórmula marcada, Give Me A Reason cativa por ter esse clima que é impossível não pegar alguém.

Automatic -Johnny Vicious Remix-

E pra fechar o álbum esse remix de Automatic, que a meu ver é um dos melhores remix que já ouvi na minha vida! Sério! Sim, eu sei que é batido, mas ao ouvir a primeira vez como a melodia ficou nessa versão e os arranjos (nada inovadores, mas… né!), literalmente amei pro resto da minha life! Vício total!

Conclusão

Fisrt Love tem altos e baixos, mas o que é uma boa coisa do álbum é a linha que ele segue que é bem cadenciada e concreta, quando tem algumas (poucas) mudanças o, nosso ouvido não sofre. Não esbanja criatividade, mas creio (tenho certeza na verdade hehehe) que para a época, no Japão, foi algo totalmente fora do comum e mereceu o sucesso recebido, e por ser bem constituído, vicia!

Pelo menos o Primeiro Amor de Utada não é que nem o nosso álbum mais vendido, O Xou da Xuxa 3! (preferia o Mamonas com o álbum mais vendido das nossas terras tupiniquins, mas quem nunca dançou ao som de Ilari, Ilariê  Oh Oh Oh ♫♪ ?????????).

Ficha:

Álbum: First Love

Artista: Hikaru Utada – 宇多田ヒカル

Lançamento: 10/03/1999

Posição no Oricon Semanal:1º

Vendas na 1ª semana: 2,026,870

Vendas até 2010: 7,650,215 (somente no Japão) 10,056,000 (mundo todo)

Faixa Promocional: First Love (lançada como single posteriormente)

Singles: Automatic / time will tell; Movin’ on without you

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. maio 24, 2010 12:38 am

    Eu nunca dancei ao som de ilari ilari ilari ê 😛

    Brincadeiras à parte, amei a resenha. Eu estava pensando em fazer um post assim pra um blog que eu tinha (não sei pq eu não fiz rsrss). Amo esse disco, apesar de, hoje, preferir o Heart Station.

    Um abraço!

    • andoreh permalink
      maio 26, 2010 4:48 pm

      como nunca dançou ilariê?? OMg [indignity mode]

      Que ótimo que tenha gostado da resenha. E bem fazer post assim é legal, mas demoooooora xD
      Eu tbm gosto mto desse álbum (até peguei o original só pra ver como era), mas prefiro o True Blue!! xD

      Obrigado pelo coment!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: