Skip to content

Resenha: Koda Kumi – UNIVERSE

março 11, 2010

Bem… Eu a chamo de Kumosa. Deve ser porque sempre impliquei com essa moça que conheci numa revista com suas unhas enormes e logo não quis me apaixonar por essa [moça sensual] ótima cantora. Melhor ir para o assunto que é a Kuu-chan! Que subiu, subiu, e começou a cair, cair e lançou esse álbum conjunto com seu 3rd Best pra ver se consegue dar um up nas vendas, mas e aih? Como ficou?

(Aqui só terá a resenha do álbum de inéditas, o UNIVERSE e recomendo e que escutem o ábum lendo a resenha \fikdik ;D)

Step In To My World

UNIVERSE inicia-se com essa intro de batida forte e também muito sexy. Parece um convite ao mundo da Kumosa. É uma faixa marcante, e que daria uma ótima música full. É bem assim que eu gosto da Kumi, não precisa comentar muito né? Viciante

Can We Go Back

Lançada como single anteriormente, Can We Go Back dá uma tremenda quebrada na ljnha do álbum, sendo essa faixa um cover da Kelly Clarkson, tendo uma linha mais agressiva (ou rockeira suja, se é quem me entendem – provocação básica). Apesar da brusca mudança de estilo em relação à intro, o cover da Kumosa ficou muito bem produzido na voz dela, se encaixou perfeitamente, já que a voz da Kumi apesar de agressiva está totalmente carregada de sentimentos (raiva, desgosto, amargura… dá pra sentir isso!). O refrão é bem grudento, apesar de todas as guitarras gritando loucamente ao fundo (amo guitarras assim). O ponto legal são os corais gospel bem suaves, que dão um toque “diferente” á música.

SUPERSTAR

Outra quebra no ritmo que o álbum seguia, já que SUPERSTAR é happy happy! Apesar disso ela tem uma pegada um pouco fora do padrão para essas músicas, e tem um toques bemmm norte-americanos, com os I wanna be, I wanna be colaborando também pra isso. A voz da Kumosa aqui sim tem uma diversificada de tons a todo o momento e mesmo assim não destoa do sentido da música, o que mostra a versatilidade da moça! A guitarra com notas leves e dá um toque a mais junto com o teclado que me lembram estrelas cintilando, se é que me entendem. Apesar de ser uma música bem feliz, não enjoa, deve ter algo a mais… Tentando descobrir ainda.

You’re So Beautiful

Mais uma mudança brusca no ritmo que o álbum seguia, já que esta é uma balada com uma batida bemmm R&B, com violões acompanhando e com direito a violinos. As partes cantadas em inglês dão um up e o solo de violinos, nem se fala, muito bonito! Apesar disso, ainda deixa a impressão de uma faixa mal aproveitada, faltando algo, que tinha mais potencial. Não tem algo pra você disser: que música! Mas é interessante… e só.

Lick me♥

O single mais divulgado pela Kumosa tem a mesma vibe de SUPERSTAR, mas essa é mais sintética, cheia de turns, vocoders, e sons estranhos (mas muito agradáveis) e apesar do nome a música é mais pra te levantar pra cima, animar mesmo! Mas tem um ar sexy escondido..É uma faixa divertida (as palmas no fundo na música ajudam) que tem várias pegadas, só prestar atenção. Divertidíssima do começo ao fim ao som de da da da ran ♫♪♪

Work It Out!

Outra mudança, mas dessa vez Work It Out! consegue ser complementar à Lick me, principalmente pelo instrumental, o que faz dela uma faixa interessante. A guitarra e teclado bem alto remetem ao rock oitentista, mas com complementos musicais bem mais atuais (apesar de que no começo imaginei que estava ouvindo Material Girl, da Madonna). Uma música que tem uma ponte muito boa, o refrão com uma melodia fora do comum, e a Kumosa canta extremamente bem aqui com várias entonações e timbres que tornam a música Five Stars! E o solo de guitarra versus teclado? M a r a v i l h o s o. Versátil e inteligente, nem preciso dizer que é a minha faixa preferida, né?

No Way

Uma balada fora do comum. Tem um clima muito, mas muito etéreo e até mesmo estranho (no bom sentido) e um sentimento de “aperto no peito” e reflete na voz da Kuu-chan e na letra, tudo combinado certinho sakas? A batida bem básica é incrementada por diversos sintetizadores, sons weirds e um piano e um violino de fundo, bem disfarçados que realçam essa “dor no peito”. E a voz da Kumi tá muito emotiva, com uma aura de sofrimento que não acaba mais, trazendo aquela vontade de chorar mesmo. É muito sofrimento para uma única faixa, mesmo assim você se vê preso a essa estranha sensação que ela atrai. Outra música Five Stars!

Stay

Outra baladinha R&B, mas com feelings dos nos 90. Stay é conduzida por um piano básico, com poucas notas, e uma batida agradável. O vocal da Kumi aqui simplesmente cumpre o papel. Sabe quando faltou aquele up? Bem essa faixa é bem isso. Apesar é uma faixa muito agradável e gostosa de ouvir, parece uma massagem. Resumindo: simples (às vezes simplicidade pode ser melhor do que se imagina).

Comes Up

The happiness come back again! É impossível não pensar isso quando se escuta Comes Up! Uma faixa bem clima de somos paz e amor. É leve, bem pensada, com a batida eletrônica e os sons diversificados. O refrão tem uma aura própria, se ressalta na medida certa. E o piro que dá uma vontade incrível de cantar junto da Kumosa! Creio que seja um tipo de música pra se escutar a todo o momento, resultando em uma simplicidade conquistadora.

Physical Thing

SEXY. Já disse tudo! Physical Thing,como o nome já diz é forte, marcante e bem.. Física a coisa aqui. Apesar de ser uma faixa sem muita diversificação, (já que as batidas e os sintetizadores são beeem repetitivos) ela fica na cabeça fácil, fácil e não cansa.. queria saber qual o segredo disso! Mas a coisa aqui é muita sensualidade na voz, coisa que a Kumi sabe fazer desde pequena, há muito tempo. Amo a música, mas ainda faltou alguma coisa para chegar ao nível da obra-prima sexy da Kumosa que é TABOO.

ECSTASY

Outra faixa sensual, mas fora do comum, por que será? ECSTASY tem um instrumental fora do comum, já que é uma mistura de Urban com flertes de Eletro-Rock e R&B, e é uma mistura muitíssimo elaborada entre todos esses flertes musicais. Óbvio que a Kumi tah destilando veneno sensualidade vocalmente falando, mas com uma tonalidade fora do comum, e o vocoder bem sutil no refrão deu uma diferenciada, e tem partes de um contraste entre a voz pseudo-inocente de outras partes da música é um toque a mais. Refrão viciante, faz você fica ficar literalmente com vontade de se jogar! (é não achei melhor palavra pra explicar isso… então né) Em minha opinião o melhor single do álbum.

UNIVERSE

UNIVERSE atinge o auge da linha sexy que o álbum segue desde Physical Thing, e apesar de ser um pouco sintética, a batida não é forte, e nem se faz necessário ser dessa maneira, já que ela é bem diversificada e, alternando os tempos muito bem. Apesar de UNIVERSE ser bem sensual, tem um lado bem despretensioso, e alegre também, que incrementa a música! E o refrão é viciante, as partes em inglês foram muito bem estruturadas e está agradável ouvir “Universe…Universe…Supernova…Supernova…” Os turns são muitos legais aqui e, nossa, essa música é vício total!!! (eu sei que eu me empolguei…) Bem que poderia se tornar single, pois seria “O SINGLE”

It’s all Love! – Koda Kumi x misono

O single lançado em colaboração com a irmã da Kumosa – misono – tem um ótimo equilíbrio entre as vozes que surpreende, e o mais interessante é que a divisão entre elas tah literalmente 50% por 50% (tah.. tem um cara q faz uns hey! hey! São quase inaudíveis, mas isso não conta!), e elas cantam muito, mas muito rápido e mesmo assim a música marca, bem única. Apesar de ser uma música com base nas guitarras, tem flertes entre Urban e até mesmo Metal. O refrão é avassalador, literalmente. O collab entre as duas irmãs não poderia ser melhor! (ahh o barulho de vidro quebrando é show!)

Alive

Bem “música de conto de fadas” sabe? Alive tem uma letra mais interessante do que o próprio instrumental da música, mas isso não consegue destacá-la. É uma música sem altos nem baixos, fica na mesma e é bem.. bemm lenta mesmo. É bonita sim, tem violinos, pianos, mas tudo parece meio forçado. Alive seria uma música que descartaria sem dó.

Moon Crying – Live Version in Taiwan

Original do album TRICK, essa versão live é tão boa, senão melhor que a original de estúdio! Sim, pois aqui a Kumi canta com muito, mas muito sentimento mesmo (tudo bem que ela desafina em poucos momentos, mas em live pode ser perdoado). E que letra!!! Dá pra ver a dor no coração! O instrumental da música é bem básico, aqui quem dá o show é SOMENTE a KUMOSA e muitísssimo bem! Ótimo encerramento do álbum! (apesar de eu ter achado muito engraçado o jeito que ela fala “arigatou” no final dessa música)

Conclusão

Sinceramente esperava menos desse álbum, mas ele me surpreendeu. Lógico que uma ou outra música eu descartaria lindamente (You’re So Beautiful e Alive), já o início do álbum deveria ter uma organização, pois quebra muito os ritmos. Mas ao mesmo tempo é na seqüência de músicas que o álbum ganha muitos pontos também, especialmente na trilogia sexy de Physical Thing – ECSTASY – UNIVERSE que é sem dúvida a melhor parte do álbum. Outra seqüencia que foi muito bem colocada foi Lick me♥ – Work It Out! – No Way, que também é Five Stars. Agora escutem e tirem suas próprias conclusões!

Ficha:

Álbum: UNIVERSE

Cantora: Koda Kumi – 倖田來未

Lançamento: 03/02/2010

Posição no Oricon Semanal: 1º

Vendas na 1ª semana: 221,887

Vendas até 15/03/2010: 335,551

Faixas Promocionais: SUPERSTAR e You’re So Beautiful

Singles: It’s all Love, 3 SPLASH (Lick me♥/ECSTASY/Hashire!), Physical Thing/Alive

Obs.: Comentem! E sim, as opiniões são minhas, me reservo as minhas assim como vocês as suas ;D

Anúncios
5 Comentários leave one →
  1. sasukerk permalink
    março 11, 2010 8:51 pm

    Otimo album msm,curti muito o Moon Crying – Live Version in Taiwan

  2. Mayu permalink
    março 12, 2010 9:13 am

    Já havia escutado o álbum e realmente concordo com tudo que foi dito. Passei a gostar da cantora, apesar do apelo corporal que ela usa em clips e shows.

  3. freds permalink
    março 12, 2010 2:57 pm

    Eu achei tãããõ mais ou menos D: Nem os singles me agradaram muito, só gostei mesmo de Can We Go Back e It’s all Love! (e, às vezes, de Lick me). Nenhuma das album track me chamou atenção o suficiente, comolidar?

    Se bem que o último álbum da Koda que eu realmente gostei foi o Kingdom, então… =x

  4. Rubens permalink
    março 13, 2010 1:15 am

    Parabéns pela resenha. Novamente um ótimo trabalho.
    Ficou muito boa.
    Quanto ao álbum, eu adorei. Ficou muito bom, melhor que o TRICK que já é ótimo.
    Meus destaques das faixas do álbum (não singles) são “You’re So Beautiful”, “SUPERSTAR”, ‘”No Way” e “UNIVERSE”. Gostei muito dessas.
    Agora, quanto aos singles, os GRANDES são com certeza “Can We Go Back”, “Lick Me” e “Ecstasy”.

    Só achei que “Hashire!”, “Good-Day” e “faraway” deveriam ter entrado para o álbum. São muito boas para ficarem apenas como b-sides.

    PS: Eu gostei de “Alive”. Achei ela bem diferente e corajosa, se mantendo na balada romântica de um só tom do início ao fim. O vídeo-clipe é lindo.

Trackbacks

  1. TOP30 – Melhores albums de 2010 – parte 3 « Acid Black Nerd

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: